ENTRE O DESEJO E A REPULSA

Vamo comer/Vamo comer, João/Vamo comer/Vamos come, Maria/Se tiver/Se não tiver então/…./Vamo comer poesia neste excerto da música Vamo Comer, de Caetano Veloso, eu acrescentaria vamo comer fotografia (a grafia está errada de propósito). Comer com vontade de comer e comer com vontade de vomitá-la, de regurgitá-la… comer com desejo de saciar a fome do olhar e comer com a repulsa que a imagem nos provoca.

Entre o desejo e a repulsa, assim sabem melhor as imagens de Bruno Saavedra na sua ode à comida e à nossa relação com aquilo que nos alimenta. Vamos comer a visão de Bruno sobre algo que diariamente está presente no nosso cotidiano. Assim sabe a sua exposição Flavors.

O que vemos, comemos ou rejeitamos, com os olhos de ver, com os olhos que esta terra há de comer um dia, são corpos em contacto com ingrediemtes culinários dos mais diversos. Saavedra alerta-nos com estas imagens, assim pretende, sobre a abundância, sobre o desperdício “em que a gula esquece os famintos”… chama-nos a atenção para “um mundo em desequilíbrio… questiona-nos sobre este ser humano “sem fome ou eternamente faminto”. E consegue este objectivo, que se nos apresenta à frente.

Ora queremos entrar na imagem, assumí-la, sermos também este objecto de desejo, canibalizarmos comida e modelos… ora vomitamos, repudiamos através do nojo, damos um passo atrás, não nos aproximamos, pois a comida pode nos conspurcar. No entanto nesta mistura de sabores algo acontece: não ficamos indiferentes às imagens de Bruno Saavedra. Entramos na exposição por uma porta e regressamos por uma passagem mais apertada, pois que o nosso incómodo preenche tudo o que existe à nossa volta.

 

Flavors, de Bruno Saavreda
Galeria Estoril – Junta de Freguesia de Cascais e Estoril
Rua de Santa Rita, 45 – Estoril, de terça a sábado.
Até 18 de Novembro

avatar_renato_rosaColuna – Ozias Filho
Ozias Filho, brasileiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1962.  Jornalista, Escritor, Editor e Fotógrafo. Tem publicado os seguintes livros: Poemas do Dilúvio, Páginas Despidas, O relógio avariado de Deus, Insulares (poesia); Só agora vejo crescer em mim as mãos de meu pai, Mensageiro das Estrelas (prosa); Santa Cruz, Ar de Arestas e Instagramo-te (Fotografia). É Editor nas Edições Pasárgada.

2 Replies to “ENTRE O DESEJO E A REPULSA”

  1. Obrigado, Isabel. É uma exposição que merece mesmo uma visita.

  2. Obrigado, Isabel. É uma exposição que merece uma visita. Entrámos de uma maneira e saímos de outra.

Deixe uma resposta