BASQUIAT E SUA ART NAIF NO BRASIL

Jean-Michel Basquiat é daqueles artistas que tiveram uma marcante e rápida passagem no mundo. Como Jim Morrison, Jimi Hendrix, Janis Joplin e tantos outros que abusaram da genialidade e das drogas, Basquiat foi e fez história do mundo das artes. Descoberto por Andy Warhol, o artista surgiu da cena “Punk” e alternativa de Nova York como um artista de rua autodidata. Com a “curadoria” de Warhol, ícone da Pop Art, Basquiat rapidamente se tornou um dos mais famosos e mais comercialmente explorados, pintores americanos do chamado “naif”, movimento de arte neo-expressionista onde o artista sem um conhecimento formal, cria uma maneira pessoal de expressar suas emoções através das artes. Naïf é um termo em francês que significa ingênuo ou inocente, como eram os traços “selvagens” mas muitas vezes infantis de Basquiat.

Este incrível artista, deixou um legado com mais de duas mil obras, isso tudo antes de vir a falecer por overdose aos 27 anos. Oitenta obras do artista irão compor o acervo da exposição retrospectiva que inaugurou no último dia 25 de janeiro, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo, e irá percorres outras cidades como Brasília (21 de abril a 01 de julho), Belo Horizonte (16 de julho a 26 de setembro) e Rio de Janeiro (12 de outubro a 8 de janeiro de 2019).

Passados trinta anos de sua morte, Basquiat segue sendo disputado por colecionadores e galerias. Sua arte rebelde e libertária começou em seus cartões postais que vendia nas vielas de Manhattan alcançando as principais galerias e museus de arte contemporânea, tendo suas obras vendidas por milhares de dólares. Com pai haitiano e mãe porto-riquenha, Basquiat traz em seus trabalhos o reflexo da Nova York dos anos 80, a realidade da rua levada ao glamour das galerias de arte.

 

“Retrospectiva”
JEAN-MICHEL BASQUIAT OBRAS DA COLEÇÃO MUGRABI
De 25/01 a 07/04
Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (R. Álvares Penteado, 112, Centro)
Quarta a segunda, das 9h às 21h.
Link: www.culturabancodobrasil.com.br