“Raparigas”, de Pilar Palomero, chega ao grande ecrã esta quinta

leopardo filmes

RAPARIGAS, de Pilar Palomero, uma crónica intimista de um grupo de raparigas, chega ao grande ecrã esta quinta-feira, 3 de Junho, em cerca de 20 salas.

Primeira obra da realizadora espanhola, feita por uma equipa de mulheres, RAPARIGAS tem vindo a ser amplamente aclamado tanto pela crítica como pelo público internacionais.

Destacou-se internacionalmente no circuito de festivais, nomeadamente em Berlim e San Sebastián. Foi ainda o grande vencedor da noite dos Prémios Goya, tendo sido galardoado com quatro prémios: Melhor Realização (Pilar Palomero); Melhor Argumento Original (Pilar Palomero); Melhor Fotografia (Daniela Cajías); Melhor Filme.

É o filme sensação em Espanha. Foi o grande vencedor dos prémios Goya, depois de uma auspiciosa estreia em Berlim e muitos prémios noutros festivais.

É a primeira longa-metragem da realizadora Pilar Palomero, uma crónica intimista de coming of age de um grupo de raparigas a entrar na adolescência, que frequentam um colégio de freiras na Espanha do início dos anos 90, num momento em que o país começava a abrir-se mas a educação era ainda muito conservadora. Juntas, partilham segredos, o primeiro cigarro, o primeiro copo, os primeiros flirts, os medos, as dúvidas, a rebeldia contra a rigidez das figuras autoritárias, e uma enorme sede de viver.

 

Raparigas

“Venho para me confessar, senhor Padre, porque pequei. – Que pecados haveis cometido, minha filha? – Nem sei.”

No coro de um colégio católico para raparigas, a voz de Celia não deverá ser ouvida. Mas a sua aceitação muda das doutrinas conservadoras de um ambiente absolutamente desprovido de cor e individualidade é abalada pela chegada de uma nova colega, Brisa. Encontrando-se no limiar da adolescência, Celia descobre uma sede de viver em toda a sua glória multifacetada. Rapidamente se desenvolve um laço entre as duas raparigas, e juntas mobilizam-se contra as figuras de autoridade e as suas estritas normas. Através de pequenos actos de rebelião, Celia encontra a coragem para expressar a sua desconfiança crescente no sistema de valores que governa o mundo em que se insere na Espanha da década de 1990, à medida que começam a surgir questões acerca da sua própria família – um tópico sobre o qual a sua mãe sempre se manteve em silêncio.

 

ACTORES
Andrea Fandos
Natalia de Molina
Zoé Arnao
Julia Sierra

EQUIPA TÉCNICA
Realização e argumento: Pilar Palomero
Fotografia: Daniela Cajías
Montagem: Sofi Escudé
Música: Carlos Naya
Som: Amanda Villavieja
Direcção de Arte: Mónica Bernuy
Guarda-roupa: Arantxa Ezquerro
Produção: Valérie Delpierre e Alex Lafuente

Las Niñas | 2020 | Espanha | 97min

Leopardo Filmes