Festival Sons com História arranca neste sábado com estreia mundial

Com entrada gratuita, três concertos e uma missa cantada marcam a 2ª edição do Festival em Castelo de Vide.

Após o sucesso da primeira edição em 2019 e o adiamento provocado pela situação pandémica de 2020, em 2021 o festival Sons com História regressa a Castelo de Vide, com três concertos e uma missa cantada. O primeiro espetáculo é já no dia 21 de agosto, com a estreia mundial do concerto Monodia, de Ana Quintans.

Com um cartaz que promete fazer viajar pela música clássica através dos séculos ao longo de quatro dias de concertos, nos dois últimos fins-de-semana de agosto, o festival Sons com História quer ser um palco para novos artistas e projetos e um instrumento para proporcionar o acesso livre e gratuito de todos os públicos à cultura musical erudita.

Criado por Nuno Velez, o festival Sons com História conta com o apoio da Câmara Municipal de Castelo de Vide, cujo presidente António Pita apadrinhou a iniciativa desde o primeiro momento.

O primeiro evento terá lugar no sábado, dia 21 de agosto, na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa com Monodia, um recital de música do séc. XVII, em estreia nacional. A soprano Ana Quintans será acompanhada por Diana Vinagre no violoncelo e por Miguel Amaral na guitarra portuguesa, em um recital concebido em torno da monodia vocal do séc. XVII explorando o seu papel fundamental na eclosão da prática do Baixo-Contínuo, como forma de acompanhamento. Uma selecção de canções profanas do período inicial Barroco e que constitui os próprios alicerces da música barroca.

Na sexta-feira, dia 27 de agosto, a programação do Sons com História retoma com uma viagem pela história da música através das vozes do grupo ALMA Ensemble. Com direção da maestrina Filipa Palhares e acompanhado por André Ferreira no órgão, são entoadas músicas à cappella e estendidas desde a música antiga até ao séc. XXI, prestando particular atenção ao repertório português. Este concerto terá lugar na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa.

No sábado, dia 28 de agosto, o jardim municipal de Castelo de Vide será o palco para a grande Gala de Ópera, em que vão ser interpretadas árias de obras como A Flauta Mágica ou O Barbeiro de Sevilha. As vozes da soprano Rita Marques, do tenor João Rodrigues e do barítono André Henriques, vão juntar-se à Orquestra Académica de Lisboa dirigida maestro Tiago Oliveira, para um grande espetáculo de repertório operático.

À semelhança da última edição, o festival Sons com História encerra no domingo, com a grande Missa Cantada na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa, que ser realizará pelas 12h00 de dia 29 de agosto. A interpretação musical estará a cargo do grupo ALMA Ensemble, para dar projeção e ambiente a esta celebração da comunhão da vida e da espiritualidade.

O todos os concertos do festival Sons com História são de entrada livre, com lotação de condicionada às restrições indicadas pela DGS, e que a Câmara Municipal de Castelo de Vide considere essenciais para manter a segurança e de saúde pública.

A Câmara Municipal de Castelo de Vide e a Direção do Festival Sons com História, convidam-vos desde já a fazer parte deste que pretende ser um evento inesquecível.

 

Programa do Festival Sons com História

Sábado, 21 de agosto, 21h30

Monodia

Recital de música do Séc. XVII

com Ana Quintans (soprano), Diana Vinagre (violoncelo)

e Miguel Amaral (guitarra portuguesa)

 

Sexta-feira, 27 de agosto, 21h30

ALMA Ensemble

dirigido por Filipa Palhares

 

Sábado, 28 de agosto, 21h30

Grande Gala de Ópera

Árias de Mozart, Puccini, Bizet e Tchaikovsky

Com Orquestra Académica de Lisboa, dirigida por maestro Tiago Oliveira,

Rita Marques (soprano), João Rodrigues (tenor) e André Henriques (barítono)

 

Domingo, dia 29 de agosto, 12h00

Missa Cantada

Com ALMA Ensemble

 

Siga o Festival Sons com História

https://www.instagram.com/festival_sons_com_historia/

https://www.facebook.com/sonscomhistoria