Espectáculo, quase sem palavras, invoca o arquipélago dos Açores

O Teatro Meridional traz ao Teatro Municipal Joaquim Benite, dia 26 de Março, às 21h, Ilhas, espectáculo integrado no Projecto Províncias. Um espectáculo quase sem palavras, com dramaturgia de Natália Luiza, e com encenação de Miguel Seabra, que invoca o arquipélago dos Açores.

Ilhas é mais uma criação do Projecto Províncias, do Teatro Meridional, do qual já nasceram os espectáculos Para além do Tejo (2004), Por detrás dos montes (2006), Por causa da muralha nem sempre se consegue ver a lua (2012) e Ca_Minho (2019). Em cada criação, a companhia foca a sua atenção numa região de Portugal. Ilhas é um espectáculo que parte da exploração das linguagens gestual, plástica e musical da região dos Açores, procurando – através de um olhar subjectivado e sem o recurso à palavra – tornar expressivo um universo inspirado no arquipélago. “Transformar em matéria cénica a singularidade identitária deste território português, conseguir criar um modo de comunicar inspirado nos seus hábitos, ritos e mitos” é o objectivo deste espectáculo.

Fundado em 1992, o Teatro Meridional tem direcção artística de Miguel Seabra e Natália Luiza e procura nas suas montagens um estilo marcado pelo protagonismo do trabalho de interpretação do actor, fazendo da construção de cada objecto cénico uma aposta de pesquisa e experimentação. A companhia dedica-se quer à encenação de textos originais (como Os Silvas, de Mário Botequilha) quer à adaptação de textos não teatrais (como O Senhor Ibrahim e as flores do Corão, de Eric-Emmanuel Schmitt, que recebeu o Prémio do Público do Festival de Almada em 2012) ou à recriação de textos maiores da dramaturgia mundial (como A lição, de Ionesco), quer ainda criando espectáculos, como este, onde a palavra não é a principal forma de comunicação cénica.

 

Ilhas 

Sala Principal do Teatro Municipal Joaquim Benite – Almada

26 de Março de 2022, sábado, às 21h.

M/12 | 70 min.

Preço: entre 9,10€ e 13€ (Clube de Amigos: 6.50€)

 

Encenação de Miguel Seabra

Dramaturgia Natália Luiza
Desenho de luz Miguel Seabra
Espaço cénico e figurinos Hugo F. Matos
Música original e espaço sonoro Fernando Mota
Interpretação Ana Santos, David Medeiros, Emanuel Arada, Joana de Verona, Miguel Damião e Rosinda Costa
Imagens vídeo Ricardo Reis
Atelier Taiji Qigong Pedro Rodrigues
Co-produção Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Micaelense

Teatro Meridional

Mais informações em ctalmada.pt