Les Lalanne à Trianon, por Fabiano Bergman

O Museu Nacional do Palácio de Versailles, em parceria com a Galerie Mitterrrand e apoio da aclamada Grife francesa DIOR, trazem ao TRIANON os escultores Claude (1925 – 2019) e François-Xavier Lalanne (1927 – 2008) que nos levam a decorrer um percurso que vai dos jardins franceses do palácio neoclássico Petit Trianon.

O percurso passa pelos jardins ingleses e menos formais Queen´s Hamelet, onde podemos descobrir uma das maiores coleções reunidas dos Lalanne, mais de 50 esculturas em exibição.

Com forte inspiração pela natureza, os artistas desenvolveram, desde a década de 50, obras paralelas com grande senso de humor e cheias de poesia, mas cada um com características próprias.

lalanne trianon
Foto: Fabiano Bergman

Claude distingue, a partir de técnicas relacionadas a impressão, moldagem e galvanoplastia enquanto François- Xavier destaca-se pela pureza de seus desenhos e o rigor na execução. Ao longo de sua vida evocaram a Fauna e a Flora através da escultura.

François-Xavier Lalanne trabalhou na elaboração de cenários para a primeira Boutique de Christian Dior, na Av. Montaigne, na década de 1950 e Claude Lalanne criou joias para uma coleção de 2017.

Um verdadeiro show ao ar livre, sem mapas ou roteiros, os visitantes ficam livres para descobrir ao longo de trilhas arborizadas, gramados e lagos que refletem a imagem das esculturas que ocupam os mais variados espaços.

ovelhas escultura trianon
Foto: Fabiano Bergman

Com um tipo de humor surrealista, as obras preenchem aquele espaço como se ali sempre estivessem, agregando ao universo rural imaginado por Maria Antonieta.

A edificação data principalmente durante os reinados de Luis XV e Luís XVI, que ofereceu a sua esposa, Maria Antonieta que utilizava como refugio particular para escapar da etiqueta da corte.

 

Do nosso correspondente internacional, Fabiano Bergman