Canto Polifónico com concertos, exposição itinerantes e vídeomapping

As vozes de São Pedro do Sul, Oliveira de Frades, Sever do Vouga e Vouzela juntam-se para protagonizar 4 concertos únicos ao longo do mês de julho e agosto. Porque o Canto Polifónico é legado, é memória… mas é também futuro!

 

Após o sucesso dos espetáculos inaugurais de Canto Polifónico Feminino em 2021 e do recrudescimento desta prática ancestral e identitária em Sever do Vouga, Vouzela, Oliveira de Frades e São Pedro do Sul, o projeto “Cultura entre Pontes” volta a dar voz a novos espetáculos de polifonia, desta vez com 60 novas vozes – femininas e masculinas – descobertas na comunidade, após a realização de uma nova oficina de canto, que decorreu ao longo do mês de junho.

Depois do concerto de estreia em São Pedro do Sul, será a vez de o grupo de Canto Polifónico composto por vozes femininas e masculinas destes 4 municípios subirem ao palco do largo da Feira em Oliveira de Frades, a 17 de julho. O grupo atua ainda no Espaço Severi em Sever do Vouga a 28 de julho e, no dia 4 de agosto, será a vez de o Canto Polifónico ecoar no Parque da Liberdade, em Vouzela.

De relembrar que em 2021, as oficinas de Canto Polifónico Feminino (candidato a património imaterial da UNESCO), inseridas no âmbito do projeto Cultura Entre Pontes (CEP), reuniram um leque vasto de vozes de Sever do Vouga, Vouzela, São Pedro do Sul e Oliveira de Frades para dar voz e perpetuar esta prática que corria o risco de se perder. Após o sucesso dos espetáculos e do interesse nacional por ouvir o Canto a Vozes, este ano, foram abertas inscrições para a captação de novas vozes de todas as idades, femininas e masculinas.

 

Nesta segunda fase das oficinas de canto polifónico, dirigidas por Teresa Melo Campos, Celina da Piedade, Carmina Repas Gonçalves e Joana Negrão, pretendeu-se acrescentar ao reportório polifónico tradicional, novas composições contemporâneas. As novas cantadas, compostas por três músicos profissionais (Joana Negrão, TóZé Bexiga e Paulo Pereira) foram inspiradas nas técnicas tradicionais e criadas com a liberdade criativa de cada músico, que compôs 3 cantadas. As letras inspiraram-se em poemas das poetisas Maria Teresa Orta, Judith Teixeira, Joana Negrão, Joana Ferrajão e Margarida Vale de Gato.

 

Após a seleção de homens e mulheres de cada um dos municípios que integram o projeto CEP, foram reunidas 60 vozes inconfundíveis que, em uníssono, vão dar corpo e alma a 4 espetáculos de novas polifonias. A primeira atuação aconteceu no Parque das Nogueiras em São Pedro do Sul, a 27 de junho; segue-se Oliveira de Frades, no largo da Feira, a 17 de julho; no Espaço Severi em Sever do Vouga a 28 de julho e, no Parque da Liberdade, em Vouzela a 4 de agosto. No início de cada espetáculo, associações locais (do município em questão) vão apresentar cerca de três cantadas.

 

Paisagem, corpo e voz numa mostra itinerante sobre canto polifónico patente até final de agosto

Entre 01 de julho e 31 de agosto, os 4 Municípios da Cultura entre Pontes convidam-no a visitar a exposição sonora, fotográfica e videográfica “O canto polifónico: Um percurso pelas pontes entre o tradicional e o contemporâneo”.
Concebida pela Binaural Nodar, esta mostra retrata o historial etnográfico e musicológico de grupos de cantares polifónicos dos 4 concelhos e das oficinas realizadas em 2021 e 2022 pelo Canto a Vozes.

A exposição “O canto polifónico: Um percurso pelas pontes entre o tradicional e o contemporâneo”, concebida pela associação Binaural Nodar, integrada no projeto de programação cultural CEP estará em itinerância nos 4 municípios que integram o “Cultura entre Pontes”, a saber: São Pedro do Sul, até 14 de julho; Oliveira de Frades de 16 a 30 de julho; Vouzela de 3 a 15 de agosto; Sever do Vouga de 17 a 31 de agosto.

Este percurso expositivo é baseado na recolha de documentação sonora, fotográfica e videográfica que reporta ao historial etnográfico e musicológico de quatro grupos de cantares polifónicos de Sever do Vouga, São João da Serra (Oliveira de Frades), Carvalhal de Vermilhas (Vouzela) e Manhouce (São Pedro do Sul), mas também às iniciativas desenvolvidas em 2021 e 2022 como as oficinas de canto polifónico abertas à comunidade, dirigidas por Teresa Melo Campos, Celina da Piedade, Carmina Repas Gonçalves e Joana Negrão, que culminaram em concertos realizados em espaços culturais dos quatro concelhos integrados no projeto CEP.

Roteiro Vídeomapping

De ressalvar que, no âmbito da iniciativa CEP, realiza-se igualmente este verão, um roteiro turístico e cultural pelos quatro municípios com recurso a vídeomapping, nas seguintes datas: 8, 9 e 10 de julho, na Praça do Município em São Pedro do Sul; 15, 16 e 17 de julho, no Parque Urbano de Oliveira de Frades; 28, 29 e 30 de julho no Espaço Severi em Sever do Vouga; e dias 5, 6 e 7 de agosto, em Vouzela (espaço a designar oportunamente).

De referir que, esta rede supramunicipal (que une Municípios de duas sub-regiões diferentes – Viseu Dão Lafões e Região de Aveiro) pretende que as entidades envolvidas passem a ganhar escala e partilhem uma visão comum na superação dos desafios de captação de novos públicos e visitantes, que são tão importantes para reverter as quebras das dinâmicas económicas e culturais provocadas pela pandemia de Covid-19.

Projeto cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.