Sábado gordo com Robert Wilson, Encontro na Cerca, quatro espectáculos e dois concertos

Sábado o Festival de Almada começa, às 15h, com O Encontro da Cerca: Que pode o teatro face ao crescimento das extremas-direitas.

Este encontro é co-organizado com o Le Monde Diplomatique e tem o apoio da Temporada Cruzada 2022. Também, às 15h, no Fórum Romeu Correia, está em cena Tierras del Sud.

Às 19h, o CCB apresenta Falaise. Às 20h30, há Música na Esplanada com Thomas Attar & Tó Trips. Às 21h30, I was sittting on my patio this guy appeared I thought I was hallucinating, de Robert Wilson, vai estar em cena no Teatro Nacional D. Maria II.

O Palco Grande, da Escola D. António da Costa, às 22h, recebe Fado dans les Veines. Para terminar a noite, às 23h30, no Palco da Esplanada, vai haver mais um concerto, desta vez pelos Paus.

Fado dans les veines é um espectáculo-catarse, no qual Nadège Prugnard se entrega ao público de peito aberto. Evitando o acompanhamento tradicional do fado (guitarra portuguesa e viola), a criadora luso-francesa sobe ao palco acompanhada por uma guitarra eléctrica, uma tuba e trompetes.

Durante o espectáculo surgem, aqui e ali, alusões aos outros dois efes – Futebol e Fátima – que costumavam acompanhar o retrato de um Portugal de memória ainda recente. Assumidamente transgressor e excessivo, Fado dans les veines alcança ainda assim um forte grau de intimidade com o público, muito graças à interpretação da actriz, autora e encenadora, que se confessa uma anarquista por natureza.

Sou francesa e portuguesa”, diz-nos. “O meu avô, como outras centenas de milhares de portugueses, chegou a França fugido do regime de Salazar. É sobre esta emigração íntima e política, feita do fado que me corre nas veias, que eu falo. Um fado da alma e do exílio, que sempre ocultei, como um segredo difícil de revelar, e que agora resolvi enfrentar transformando-o em poema. A partir de uma recolha de palavras feita em França e em Portugal, compus um poema para ser cantado, feito de desenraizamento, do peso do destino, da ausência, e de melancolia. Mas esta é também uma canção de protesto. Um hino à glória do povo e dos resistentes de Portugal e de França”.

Fado dans les veines (Palco Grande, Escola D. António da costa, 16 de Julho de 2022, Sábado, às 22h.)

Texto e encenação de Nadège Prugnard

Interpretação
Jérémy Bonnaud
Charlotte Bouillot
Eric Exbrayat
Radoslaw Klukowski
Nadège Prugnard
Carina Salavado
Laura Tejeda
Criação musical colectiva
dirigida por
Radoslaw Klukowski
Laura Tejeda
Cenografia
Benjamin Lebreton
Montagem
Balyam Ballabeni
Benjamin Lebreton
Direcção técnica e luz
Gilles Choulet
Som
Cyril Virevaire
Dramaturgia
Christian Giriat
Apoio artístico
Jean-Luc Guitton
Figurinos
Séverine Yvernault
Direcção de tourné
Caroline Selig
Administração e produção
“J’aime beaucoup ce que vous faites” – Christophe e Jérôme Paris-Marty

Língua
Francês
Legendado em português
Duração
1h30m
Classificação
M/12

Mais informações em ctalmada.pt