Crítica: MINHA MÃE ou OS BASTIDORES DO CINEMA

Um filme muito triste sobre um tema muito triste, a MORTE e o significado da VIDA (para a protagonista principal o significado da sua vida é o seu trabalho, que ela questiona, confrontada com a aproximação da morte da sua mãe). Nos bastidores do cinema observamos tentativas de superar a ideia da MORTE através da eternização conferida pela Arte do Cinema. O actor NANNI MORETTI dá o equilíbrio necessário ao filme e, impede que este afunde num drama imensurável. O cinema de NANNI MORETTI tem sido interventivo na sociedade embora, neste caso, ele tenha dado uma grande importância ao individual. Será, pois, interessante, no mínimo, tirar-mos um bocadinho de tempo para ver este filme de MORETTI.

 Filme: MINHA MÃE
Realização: NANNI MORETTI
Argumento: NANNI MORETTI / FRANCESCO PICCOLI / VALIA SANTELLA
Actores: MARGHERITA BUY / JOHN TURTURRO / GIULIA LAZZARINI / NANNI MORETTI
Prémios David Di Donatello: MELHOR ACTRIZ / MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA
Classificação (0 a 10): 7 estrela_pontestrela_pontestrela_pontestrela_pontestrela_pontestrela_pontestrela_pont

 

avatar_kamy_martinsColuna – Kamy Martins

Kamy Martins, portuguesa, Lobito, Benguela, Angola, 1968. Graduada em Matemática com formação em Fotografia e Cinema na Univesidade de Coimbra (PT), Mestre em Lingua Inglesa pela universidade de Cambridge (UK), jornalista e Crítica de Cinema, escreveu para o Jornal “IMPROP” da Associação dos Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, entre outros. Publicou em 2016 o livro de fotografia intitulado “Cascais Pela Lente de Kamy” onde apresenta um pouco do seu trabalho como fotógrafa e artista.

One Reply to “Crítica: MINHA MÃE ou OS BASTIDORES DO CINEMA”

  1. Umm, are you really just giving this info out for noitgnh?

Deixe uma resposta