Finalista de Portugal Got Talent com novos planos para Street Opera.

Um cantor português e vários músicos de distintas nacionalidade incorporam o Street Opera, um projecto de carácter social e cultural.

Florencia Ribero | instagram @florencia.oficial – Foto: Paulo Miranda | instagram @pmiranda.photography

Se alguma vez foste surpreendido com um belíssimo concerto de ópera na zona central de Lisboa, com certeza conheces o projecto Street Opera. Caso não tenha ouvido falar, tens a oportunidade de conhecer este encantador e inclusivo projecto de carácter social e cultural.

Criado há dois anos pela soprano Florencia Ribero, em Buenos Aires – Argentina, o projecto Street Opera contou com a participação de outros cantores, que apresentaram-se por várias cidades da América do Sul e da Europa. Em tempo recorde, atuaram em eventos com mais de 700 pessoas e participaram num filme sobre a vida e obra do compositor José Padilla, onde participa também o renomado cantor José Carreras. “Foi uma experiência incrível que deu ao projeto projecção internacional.” celebra Florencia.

O Street Opera ficou conhecido pelo público que passeia pelo centro de Lisboa, entretanto ganhou notoriedade em todo país por ter participado do programa Portugal Got Talent. Com a saída do cantor André Navarro, Florencia antecipa-nos o formato que o projecto há de seguir “um cantor português e vários músicos de distintas nacionalidades irão se incorporar ao projeto”.

A fundadora do Street Opera Florencia Ribero concedeu-nos uma entrevista e falou sobre a história, anseios e objectivos do projecto.


Arte351 – Nestes dois anos de projecto, quais pontos destaca como positivo e negativo?

Florencia Ribero – Os pontos positivos são muitos, mas acho que o mais importante tem sido as experiências que não esperava viver como cantar para a associação de atletismo de Lisboa ou gravar o hino do Benfica. Bem sabido que no mundial de 1990 o Pavarotti virou a Opera uma arte popular, mas não são muitas as experiências que conseguem unir estas duas disciplinas.

O projeto vem a se destacar na comunicação social. Cortes da matéria da revista VISÃO sobre o Street Opera.

Arte351 – Em turnê pela Europa, passaram pela Espanha e Alemanha. Porque decidiram vir e retornar à Portugal? Como tem sido a resposta do público português?

Florencia Ribero – A volta a Lisboa foi marcada pela oportunidade de trabalhar com uma agência que finalmente foi afetada pela Pandemia e também porque apaixonei pela cidade e o carácter do povo português.

Arte351 – A arte erudita e a ópera, apesar de universal como expressão artística, geralmente é restrita a um público seleto. Como ela é abordada em vosso país de origem? E como é o mercado de ópera na América do Sul?

Florencia Ribero – América do Sul tem um mercado importante e uma escola de cantores muito boa. A mais importante a nível mundial é o Teatro Colón de Buenos Aires, Argentina, onde tem passado os cantores mais famosos do mundo. Lamentavelmente é um arte que ainda continua a ser consumida por uma elite porque não existem políticas efetivas para a democratização e divulgação da música clássica e sobretudo na criação de novas audiências. Continuam a seguir mesmas receitas que não resultam atrativas para o público jovem. São poucas as iniciativas alternativas.

Arte351 – Em dois anos de projeto, apresentaram-vos em quantas cidades? Quais foram mais receptivas e quais foram menos receptivas?

Florencia Ribero – Buenos Aires, Sao Paulo, Santiago de Chile, Montevidéu na América do Sul e em Europa: Londres, Paris, Berlim, Frankfurt, Lisboa, Porto, Alicante, Benidorm, Barcelona, Madrid, Roma, Málaga .

A mais receptiva e sem dúvida Porto e onde foi mais difícil conquistar ao público foi em Berlin…mas conseguimos!

Arte351 – A pandemia atingiu em cheio o universo das artes. Pensamos que para os artistas de rua isso foi mais intenso, pois restringiu totalmente a possibilidade de execução das apresentações, bem como ter um público ouvinte. Como estão a lidar com este momento?

Florencia Ribero – Aproveitamos o tempo para estudar, criar novos projetos, dar aulas e concertos online e o mais importante para um cantor: descansar e cuidar do instrumento.

O Street Opera no programa Praça da Alegria da RTP.

Arte351 – Como foi a participação no filme biográfico de José Padilla?

Florencia Ribero – O filme foi gravado na Argentina, em 2019 com a formação inicial do Street Opera: a Florencia e a soprano María Reynaud que agora reside em Barcelona. E também participou o bandoneonista Andrés Romeo. Foi uma experiência incrível que deu ao projeto projecção internacional. O filme é sobre a vida desse maravilhoso compositor e está a ser a estreia em Espanha durante todo o 2021.

Arte351 – Esperavam chegar à final do programa GOT Talent? Como foi a vossa participação?

Florencia Ribero – Não esperávamos. Foi uma grata surpresa e uma demonstração de carinho muito grande pelo público português. Únicos cantores e únicos estrangeiros em chegar até a final nessa edição do Programa.

Florência e André no Got Talent Portugal

Arte351 – A internet tornou-se uma ferramenta essencial para os artistas durante esta pandemia. A dupla ingressou no portal Patreon. Falem um pouco do projeto e como as pessoas podem tornar-se mecenas do Street Opera?

Florencia Ribero – Podem apoiar o projeto Street Opera através de Patreon, MBway, Paypal e outros métodos. Basta só entrar em contato conosco através do nosso Instagram @street.opera. Também continuamos a oferecer serviços de vídeos musicais e aulas online de canto e música.

Florencia Ribero em San Telmo market, Buenos Aires Foto: instagram @travelohne_furcht

Arte351 – O projecto Street Opera está a mudar e ambos cantores continuam suas carreiras como solistas e não mais em formato de dueto. Quais são os planos para a pós pandemia e onde esperam chegar com o Street Opera?

Florencia Ribero – Há pouco menos de um mês que a Florencia decidiu continuar este projeto com outra formação que envolve mais cantores e músicos, assim como parcerias com uma associação e empresas particulares com o objetivo de adoptar o conceito principal do Street Opera e transformá-lo num projeto de carácter social e cultural.

Estamos a preparar nesse sentido várias propostas que serão apresentadas entre 2021 e 2022 em Portugal, Inglaterra e França.


Fica a nossa torcida para o sucesso do projecto Street Opera e que em breve possamos ver o talento dos integrantes a encantar toda a gente que transita pelas cidades européias.

Saiba mais sobre o projeto Street Opera em: